A Infantaria tem como característica essencial a aptidão para combater a pé, em todos os tipos de terreno e sob quaisquer condições meteorológicas, podendo utilizar variados meios de transporte.

Uma de suas missões é conquistar e manter o terreno, aproveitando a capacidade do infante de progredir em pequenas frações, difíceis de serem detectadas em todos os tipos de terreno. Isso permite que ele se aproxime do inimigo para travar o combate corpo-a-corpo.

A Infantaria poderá ter especializações das mais diversas: motorizada, blindada, Paraquedista, leve, de selva, de caatinga, de montanha, de guardas e de polícia. Neste artigo você vai ficar sabendo de tudo sobre à infantaria do Exército Brasileiro!

Qual é a Missão da Infantaria?

Sua missão básica, no ataque, é destruir ou capturar o inimigo, empregando o fogo, o movimento e a ação de choque. Na defensiva, mantêm o terreno e contra-ataca. Tem por característica essencial a aptidão para combater a pé em todos os tipos de terreno, podendo deslocar-se para os lugares mais remotos – desde que receba meios de transporte adequados – e operar sob quaisquer condições meteorológicas.

Os infantes brasileiros podem ser encontrados na Amazônia, no sertão nordestino, nos pampas, nas montanhas, no pantanal, nos montes. Em qualquer lugar, não importa quão longe esteja. Basta que haja uma missão.

A função mais importante da Infantaria tem sido como força primária de um exército. É a Infantaria que, em última análise, decide se o terreno foi tomado e é a sua presença que assegura o controlo do território.

Ataque: é a operação mais básica da Infantaria e, juntamente com a defesa, forma uma das duas missões primárias da arma no campo de batalha. Tradicionalmente, num confronto em campo aberto, dois exércitos irão manobrar em direção ao contato, no qual as suas tropas de infantaria e das outras armas irão opor-se. Então, uma ou duas irão avançar e tentar derrotar a força inimiga.

O objectivo de um ataque mantém-se: avançar contra as posições ocupadas pelo inimigo, desalojá-lo e, então, estabelecer o controle do objectivo. Os ataques são, muitas vezes, temidos pela Infantaria que os conduz em virtude do alto número de baixas sofridas durante o avanço sob o fogo inimigo. Os ataques com sucesso baseiam-se numa força suficiente, reconhecimento e bombardeamento de preparação e manutenção da coesão da unidade durante a sua execução.

Defesa: é a operação natural de contra-ataque, na qual a missão é aguentar um objectivo e derrotar as forças inimigas que o procuram tomar. a postura defensiva oferece numerosas vantagens à Infantaria, incluindo a habilidade no aproveitamento e preparação do terreno, incluindo a construção de fortificações para reduzir a exposição ao fogo inimigo. Uma defesa eficiente baseia-se na minimização das baixas provocadas pelo fogo inimigo, quebra da coesão das forças inimigas antes da finalização do completo e prevenção da penetração inimiga nas posições defensivas.

Patrulha: é a missão mais comum da Infantaria. Ataques em larga escala e esforços defensivos são muito ocasionais, mas as patrulhas são constantes. As patrulhas consistem em pequenos grupos de infantaria movendo-se através de zonas onde existe atividade inimiga com vista a descobrir o seu posicionamento e com vista a emboscar as próprias patrulhas inimigas. As patrulhas são usadas não só nas áreas avançadas, mas também na retaguarda, onde as infiltrações inimigas são possíveis.

Perseguição: é a função que a Infantaria assume muitas vezes. O objectivo das operações de perseguição é a destruição das forças inimigas que já não são capazes de fazer frente às unidades amigas, antes que elas possam recuperar e reconstituir a sua força, tornando-se novamente eficientes. A Infantaria, tradicionalmente no passado, era a força principal para destruir as unidades inimigas nesta situação. No combate moderno a Infantaria é usada na perseguição de forças inimigas em terreno restrito, sobretudo em áreas urbanas, onde forças mais rápidas, como as blindadas, são incapazes de manobrar ou de evitarem ser emboscadas.

Escolta: consiste na protecção de outras unidades contra emboscadas, particularmente da Infantaria inimiga. Esta é uma das mais importantes missões da Infantaria moderna, em particular quando opera junto com veículos blindados. Nesta sua capacidade, a Infantaria basicamente conduz patrulhas em movimento, batendo o terreno que possa ocultar forças inimigas à espera de emboscar blindados amigos e identificando posições inimigas que possam ser atacadas por unidades mais pesadas.

Manobra: estas operações consumem a maioria do tempo de uma unidade de Infantaria. A Infantaria, tal como todas as unidades de combate, muitas vezes manobram no campo de batalha, sob ataque inimigo. A Infantaria tem que manter a coesão e a prontidão durante o movimento para assegurar a sua efectividade no momento em que atinge o objectivo. Tradicionalmente a Infantaria baseou-se nas próprias pernas para a mobilidade, mas actualmente utiliza veículos motorizados e blindados para se transportar.

Reserva: missões deste tipo implicam o emprego da Infantaria na retaguarda, mantendo operações de patrulha e segurança para evitar a infiltração do inimigo. Esta é, normalmente, a melhor altura para as unidades de Infantaria integrarem os recompletamentos às suas unidades, bem como para procederem à manutenção do seu equipamento. Além disso, os soldados podem descansar melhorando a sua prontidão futura. Contudo, a unidade tem que estar pronta para emprego a qualquer instante.

Construções: podem ser levadas a cabo quer na retaguarda quer na frente e consistem no uso das tropas de Infantaria como mão de obra para a construção de posições no terreno, estradas, pontes, campos de aviação e outras infraestruturas. À Infantaria é, muitas vezes, dada esta tarefa devido à quantidade de efectivos das suas unidades. Esta missão pode, no entanto, baixar o morar da unidade e limitar a sua capacidade para manter a prontidão e poder desempenhar outras missões.

Defesa de pontos fortes: acontece quando as unidades de Infantaria são encarregadas de proteger determinados pontos como postos de comando ou bases.

Quais São os Tipo de Infantaria?

A infantaria brasileira, coerente com as mais modernas doutrinas de combate existentes na atualidade e atendendo às necessidades impostas pelas características dos diferentes terrenos (teatro de operações) possui os seguintes tipos de tropas especializadas:

INFANTARIA MOTORIZADA

Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro!

A Infantaria Motorizada se caracteriza por ser uma tropa capaz de executar operações terrestres sob quaisquer condições de tempo, terreno e visibilidade.

Apta a realizar operações de infiltração, leva à retaguarda do inimigo a inquietação, o desequilíbrio e a decisão do combate difícil e prolongado.

A limitada proteção contra blindados e contra os efeitos das armas químicas, biológicas e nucleares exigem maior adestramento do combatente, através da aplicação das técnicas e táticas do combate a pé e da atualização permanente do emprego de novas armas e equipamentos.

Os obstáculos e a densa vegetação são fatores limitativos das batalhas. Superá-los é proporcionar a continuidade do movimento e do deslocamento dos meios e apoios.

A busca do aperfeiçoamento leva a Infantaria Motorizada a adquirir capacitações específicas dos diversos níveis para fins de atualização e manutenção dos padrões de desempenho.

INFANTARIA PARAQUEDISTA

Grupo de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro!

A Infantaria Pará-quedista, parte integrante da força de ação rápida, é capaz de atuar em qualquer parte do território nacional devido a sua grande mobilidade estratégica, proporcionada pelos meios aéreos da 5ª Força Aérea e da Aviação do Exército.

Devido a sua constituição heterogênea tem capacidade de operar isoladamente em qualquer tipo de terreno e apresenta particular aptidão para chegar à região de operação saltando de paraquedas, aerotransportada e helitransportadada, tendo capacidade de durar na ação, com seus próprios meios, por 72 Hs.

Está constantemente preparada para ser lançada na retaguarda profunda das linhas inimigas e conquistar objetivos de extrema importância tática e estratégica para a manobra do escalão superior.

INFANTARIA LEVE

Infantaria leve do Exército Brasileiro!

Objetivando dotar o Exército de uma força capaz de realizar ações táticas à retaguarda e flancos do inimigo, que possua grande mobilidade tática, quando apoiada por aeronaves de asa rotativa e grande flexibilidade de emprego, a 19 de junho de 1995 foi criada a 12ª Brigada de Infantaria Leve(Amv).

Integrante da Força de Ação Rápida, , a Brigada Leve(Amv) localiza-se estrategicamente na cidade de Caçapava, a cerca de 17 Km da Base de Taubaté, onde estão situados os esquadrões de helicópteros da Aviação do Exército. Esta situação permite que a Brigada esteja pronta para ser empregada em qualquer parte do território nacional num prazo de 48 horas.

As missões impostas pela atual doutrina de emprego da Brigada, tais como a desorganização do sistema de comando e controle inimigo, a atuação sobre sua reserva e a realização de ações de interdição, requerem um preparo rigoroso e de alto nível com ênfase nas missões de infiltração, tanto terrestres quanto aero móveis.

INFANTARIA DE CAATINGA

Grupo de Caatiga do Exército Brasileiro!

“O sertanejo é, antes de tudo, um forte”. Essa idéia de resistência do homem em face das agruras do semi-árido do sertão brasileiro levou à designação, em 1982, da 10º Brigada de Infantaria Motorizada como responsável pela condução das pesquisas, dos estudos e dos exercícios operacionais em área de caatinga. Ao 72º BI Mtz ,sediado na cidade de PETROLINA- PE, foi atribuído o encargo de execução e operações com estas características.

A instrução do combatente de caatinga é totalmente desenvolvida em uma das regiões mais inóspitas do mundo. A vegetação agressiva e espinhosa; o calor causticante; o relevo modesto e ondulado; solos erodidos e muitas vezes pedregosos; a paisagem uniforme e uma grande escassez de água, exigem do infante um treinamento especial para suplantar tais dificuldades.

INFANTARIA BLINDADA

Infantaria de Blindados do Exército Brasileiro!

O ruído dos motores anuncia o horror. Os blindados destroem cercas e concertinas, abrindo o caminho à tropa a pé. O potente fogo da metralhadora e a esmagadora lagarta arrasam as tocas e, os que ainda sobrevivem, fogem para a retaguarda.

A Infantaria Blindada é impiedosa e não pára. Prossegue no aproveitamento do êxito destruindo a capacidade do inimigo de reconstituir a defesa ou realizar um movimento retrógrado ordenado. A agressividade das ações é fundamental para o sucesso destes tipos de operações.

A mobilidade, a proteção blindada, a potência de fogo e a ação de choque são as características mestras da Infantaria Blindada.

INFANTARIA DE SELVA

Infantaria de Selva do Exército Brasileiro!

Aregião amazônica, é um vasto manto verde, que se estende ao longo de quase 5 Milhões de Km². Assegurar a sua integridade é uma missão que exige tropas especializadas, em condições de operar sob circunstâncias adversas, impostas pelas condições climáticas, meteorológica e fisiográficas daquele ambiente operacional.

Neste mister, a força terrestre, conta atualmente com DIVERSAS Bda Inf Sl, composta por Btl Inf Sl , organizados, instruídos e equipados para atuar em ambiente hostil de selva. Suas operações revestem-se, de características especiais, de grande fluidez e capacidade de sobrevivência.

As unidades de infantaria de Selva são particularmente aptas, a Executar Op ribeirinhas, Operar com Limitado Ap Log, Realizar infiltração tática, Participar das Op continuadas de Cmb Ofs em área de Sl sob quaisquer condições climáticas e meteorológicas.

Mercê destas singularidades, cresce de importância a figura do homem para compor este tipo de tropa. Elevado moral, conhecimento da região, adaptação às condições climáticas locais, iniciativa, liderança, rusticidade, determinação e tenacidade são atributos imprescindíveis ao soldado de Infantaria da Amazônia.

INFANTARIA DE MONTANHA

Infantaria de Montanha do Exército Brasileiro!

Com a experiência obtida na 2ª Guerra Mundial, nosso exército percebeu a necessidade de dispor de uma tropa apta a atuar em terreno montanhoso.

A difícil tarefa de executar operações continuadas de combate neste tipo de terreno, sob condições climáticas e meteorológicas extremamente adversas e em elevadas altitudes, requer um adestramento especializado. Em virtude disto, em 1992 o 11 BI foi transformado em 11 BI Mth, única unidade de Mth do EB, com a missão de implementar as táticas e técnicas de Mth militar.

O combate em região de montanha apresenta diversas restrições e exige planejamento centralizado e execução descentralizada , sendo a infiltração tática a principal forma de manobra do BI Mth.

INFANTARIA DO PANTANAL

Infantaria do Pantanal do Exército Brasileiro!

Face ao ambiente operacional do centro-oeste do Brasil, caracterizado por imensas áreas alagadiças, terreno pantanoso e rico em vias fluviais, o Exército Brasileiro prescindia de um núcleo especializado no qual pudesse adestrar adequadamente suas tropas para operações naquela área.

Essa necessidade foi sanada com a recente criação do Centro de Instrução de Operações no Pantanal, no 17º Batalhão de Infantaria de Fronteira, em Corumbá – MS. Naquela Organização Militar são ministradas as instruções específicas para a formação do Combatente do Pantanal, antes realizadas com a colaboração do 6º Grupamento de Fuzileiros Navais sediado na cidade de Ladário – MS.

Com isso, mais uma vez a Infantaria Brasileira corrobora o lema do cumprimento da missão em quaisquer condições de ambiente, projetando a Força Terrestre naquele vasto e rico cenário.

INFANTARIA DE POLÍCIA DO EXÉRCITO

Membros da Infantaria de Policia do Exército Brasileiro!

Além das unidades básicas de nossa infantaria destacamos ainda Organizações de Polícia do Exército e compostas exclusivamente por combatentes da Rainha das Armas. A origem da PE tem íntima ligação com nossos pracinhas que atuaram na 2ª Grande Guerra.

Durante aquele conflito sentiu-se na necessidade de um serviço de polícia, para cumprir missões de guarda, escolta de prisioneiros de guerra, segurança de instalações, escolta de autoridades e manutenção de ordem pública.

A Infantaria da Aeronáutica, representada pelos Batalhões de Infantaria da Aeronáutica, segundo seu regulamento, tem como missão executar ações convencionais defensivas, ofensivas, e de proteção, a fim de contribuir para o cumprimento da missão constitucional da FAB, preservando equipamentos, instalações e pessoal de interesse da Força Aérea Brasileira.

A Infantaria do Corpo de Fuzileiros Navais (Marinha do Brasil) concretiza a tarefa sob poder Naval de projetar poder sobre terra.

Gostou deste artigo? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Desse jeito você vai receber as nossas novidades diretamente na caixa de entrada do seu email!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s