Em todo o globo terrestre existe diferentes elites militares que são preparadas para agir em qualquer situação ou circunstância, Estas situações incluem a guerra não convencional,resgate de reféns, reconhecimento especial militar e ação direta.

No entanto, alguns países se destacam pelo nível de suas Forças de elite. Neste artigo vamos listar Quais São as 10 Melhores Forças Especiais do Mundo.

10. Kopassus – Indonésia 🇮🇩

 kopassus - Indonésia
Grupo de Forças Especiais do Exército Indonésio 🇮🇩

Kopassus (um portmanteau de Komando Pasukan Khusus ou “Comando das Forças Especiais”) é um grupo de forças especiais do Exército Indonésio (TNI-AD) que realiza missões de operações especiais para o governo indonésio, como ação direta, guerra não convencional, sabotagem e contra-insurgência, antiterrorismo, coleta de informações e reconhecimento especial (SR).

O Kopassus foi fundado em 16 de abril de 1952. Ganhou atenção mundial após várias operações, como a invasão indonésia de Timor-Leste e a libertação de reféns do voo 206 da Garuda Indonesia.

As Forças Especiais lideraram algumas das campanhas militares do governo: derrubar rebeliões regionais no final da década de 1950, a Operação Trikora (campanha da Nova Guiné Ocidental) em 1961-1962, o confronto Indonésia-Malásia de 1962-1966, massacres de supostos comunistas em 1965, a invasão de Timor-Leste em 1975 e campanhas subsequentes contra separatistas em várias províncias.

Kopassus é relatado pela mídia nacional e internacional, ONGs e pesquisadores afiliados aos direitos humanos por terem cometido violações dos direitos humanos em Timor Leste, Aceh, Riau e Papua e na capital Jacarta. Os artigos publicados na grande mídia podem incluir epítetos como “o notório Kopassus” ou “unidade indonésia abusiva”.

8. Grumec – Brasil 🇧🇷

Grumec - Brasil
Grupo de Mergulhadores de Combate da Marinha do Brasil 🇧🇷

Os primeiros MECs foram fundados por dois oficiais e dois praças que concluíram o curso de UDT-SEAL norte-americanos em 1964. Fruto da experiência, foi criada em 1970 a Divisão de Mergulhadores de Combate na Base Almirante Castro e Silva. Em 1971, mais dois Oficiais e três Praças foram qualificados pela Marinha Francesa como “Nageurs de Combat”. Mesclando as técnicas do curso francês, que priorizava as operações de mergulho, com as do curso norte-americano, que dava grande ênfase às operações terrestres, foi ministrado em 1974, no Brasil, o primeiro Curso Especial de Mergulhador de Combate pelo atual Centro de Instrução e Adestramento Almirante Átilla Monteiro Aché (CIAMA).

A fim de atender adequadamente às crescentes solicitações da Esquadra e dos Distritos Navais, a Divisão de Mergulhadores de Combate foi transformada, em 1983, no Grupo de Mergulhadores de Combate, como parte integrante do Comando da Força de Submarinos. Em 1996, as Orientações Ministeriais determinaram a criação do Curso de Aperfeiçoamento de Mergulhador de Combate para Oficiais. A primeira turma desse curso foi formada em dezembro do mesmo ano.

No dia 12 de dezembro de 1997, pela portaria nº 371, o Ministro da Marinha criou o Grupamento de Mergulhadores de Combate, A nova organização militar, ativada no dia 10 de março de 1998, tem semi-autonomia administrativa e é diretamente subordinada ao Comando da Força de Submarinos, que lhe fornece seu principal meio de transporte.

8. Sayeret Matkal – Israel 🇮🇱

Sayeret Matkal - Israel
Unidade De Forças Especiais de Defesa do Israel 🇮🇱

Sayeret Matkal (em português: Unidade de Reconhecimento Geral) é uma unidade de forças especiais das Forças de Defesa de Israel (IDF) diretamente subordinada à Direção de Inteligência Militar.

Essencialmente uma unidade de coleta de inteligência, especializada em reconhecimento especial atrás das linhas inimigas, a Sayeret Matkal é também encarregada do combate ao terrorismo, resgate de reféns, e espionagem estrangeira. É a unidade equivalente ao Serviço Aéreo Especial do Exército Britânico, do qual absorveu o lema “Quem ousa vence”.

Como uma das unidades de comandos mais prestigiadas, a Sayeret Matkal alegadamente esteve envolvida em quase todas as grandes operações de combate ao terrorismo desde a sua criação, em 1957.

7. Task Force Task – Canadá 🇨🇦

Task Force Task - Canadá
Membros da Força-tarefa ou Força de ação do Canadá 🇨🇦

A Força-Tarefa Conjunta 2 (JTF2) (em francês: Force opérationnelle interarmées 2, FOI 2) é uma força de operações especiais das Forças Armadas do Canadá.

O JTF2 atua ao lado do Regimento de Operações Especiais do Canadá, da Unidade Conjunta de Resposta a Incidentes do Canadá e do Esquadrão de Aviação de Operações Especiais 427 como parte do Comando das Forças de Operações Especiais do Canadá.

A unidade está atualmente sediada em Dwyer Hill, perto de Ottawa, Ontário. Servindo como peça central das operações especiais do Canadá, a JTF2 é principalmente encarregada de operações antiterroristas, mas também é especializada em ação direta, reconhecimento especial, resgate de reféns, recuperação de pessoal e defesa interna estrangeira. Muitas das informações sobre o JTF2 são classificadas e não são comentadas pelo governo do Canadá.

6. SSG (Special Service Group) – Paquistão 🇵🇰

Grupo de Serviço Especial do Exército do Paquistão 🇵🇰

O Grupo de Serviços Especiais do Exército do Paquistão, também conhecido como boinas marrons devido às suas distintas engrenagens, são as forças operacionais especiais do exército paquistanês encarregadas de cinco missões principais: defesa interna estrangeira, reconhecimento direto ações, contra-terrorismo e guerra não convencional – sua missão mais importante.

As outras funções do Grupo de Serviços Especiais incluíam busca e salvamento em combate, busca e destruição, contra-proliferação, resgate de reféns militares, operações de informação, missões de manutenção da paz, operações psicológicas, assistência à segurança e caçadas inimigas.

O comando e o controle das forças especiais caem no domínio do Comando das Forças Estratégicas do Exército do Paquistão (ASFC), e seu pessoal é recrutado diretamente na Divisão de Ação Encoberta (CAD) da ISI após a aposentadoria. Muitas de suas técnicas operacionais de trabalho e guerra são mantidas em sigilo e o conhecimento de suas obras se tornou conhecido em público através da obra literária publicada pelos veteranos do exército ou documentários autorizados na mídia.

5. GIGN – França 🇫🇷

GIGN França
Grupo de Intervenção da Gendarmeria Nacional Francesa 🇫🇷

GIGN (Grupo de intervenção da Gendarmeria Nacional) Sobre esta pronunciação sonora (ajuda · informação); Inglês: Grupo Nacional de Intervenção da Gendarmeria) é a unidade tática da polícia de elite da Gendarmeria Nacional francesa. Suas missões incluem antiterrorismo, resgate de reféns, vigilância de ameaças nacionais, proteção de funcionários do governo e combate ao crime organizado.

A GIGN foi criada em 1974 após o massacre de Munique. Criada inicialmente como uma unidade tática relativamente pequena, especializada em situações sensíveis de reféns, ela cresceu e se tornou uma força maior e mais diversificada de quase 400 membros,com resp onsabilidades ampliadas.

A GIGN compartilha a jurisdição do território francês com as unidades de resposta especial da Polícia Nacional.

A GIGN está sediada em Versalhes-Satory, perto de Paris. Embora a maioria de suas operações ocorra na França, a unidade, como componente das Forças Armadas Francesas, pode operar em qualquer lugar do mundo. Muitas de suas missões são secretas e os membros não podem ser fotografados publicamente.

Desde a sua formação, o GIGN esteve envolvido em mais de 1.800 missões e resgatou mais de 600 reféns, tornando-o uma das unidades de combate ao terrorismo mais experientes do mundo.

A unidade ganhou destaque após seu ataque bem-sucedido a um vôo seqüestrado da Air France no aeroporto de Marselha Marignane, em dezembro de 1994.

4. GIS (Gruppo di intervento speciale) – Itália 🇮🇹

GIS Italia
GIS (Grupo de Intervenção Especial da Itália) 🇮🇹

O Gruppo di Intervento Especial (GIS) (em inglês: Grupo de Intervenção Especial) é a unidade de forças especiais dos Carabinieri italianos. Os Carabinieri, um ramo das Forças Armadas responsáveis ​​pelo policiamento militar e civil, formaram o GIS em 1978 como uma unidade tática da polícia.

Em 2004, o GIS assumiu um papel de operações especiais, evoluindo para uma unidade de forças especiais, além do papel da unidade tática da polícia, tornando-se parte do Comando de Operações para Operações da Forze Speciali (COFS) (em inglês: Quartel-General Operacional das Forças Especiais).

A unidade participou de operações de combate ao terrorismo e de segurança VIP, executiva e de proteção dignitária. Desde a sua criação, o GIS se destacou em toda a Itália por eficiência e excelente preparação, e também operou e opera em vários teatros de guerra, incluindo Bálcãs, Afeganistão, Iraque, Corno de África, bem como em todos os países onde os escritórios diplomáticos italianos estão localizados. em risco. Na Itália, o GIS é uma das três unidades táticas policiais que podem operar em todo o país, sendo as outras duas o Núcleo Operacional Central de Sicurezza (NOCS) da Polizia di Stato e o Antiterrorismo Pronto Impiego (ATPI) da Guardia di Finanza.

3. SAS Britânico – Reino Unido 🇬🇧

SAS Britânico
Membros do Serviço Aéreo Especiais da Grã-Bretanha 🇬🇧

O Serviço Aéreo Especial (SAS) é uma unidade de forças especiais do Exército Britânico. O SAS foi fundado em 1941 como um regimento e depois reconstituído como um corpo em 1950.

A unidade assume uma série de funções, incluindo reconhecimento secreto, contra-terrorismo, ação direta e resgate de reféns. Muitas das informações e ações relacionadas ao SAS são altamente classificadas e não são comentadas pelo governo britânico ou pelo Ministério da Defesa devido à sensibilidade de suas operações.

Atualmente, o corpo consiste no 22º Regimento Especial de Serviços Aéreos, o componente regular sob comando operacional das Forças Especiais do Reino Unido, bem como o 21º Regimento Especial de Serviços Aéreos (Artistas) (Reserva) e o 23º Regimento Especial de Serviços Aéreos (Reserva), que são unidades de reserva sob comando operacional da 1ª Brigada de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento.

O Serviço Aéreo Especial tem suas origens em 1941 e na Segunda Guerra Mundial. Foi reformado como parte do Exército Territorial em 1947, nomeado o 21º Regimento de Serviços Aéreos Especiais (rifles de artistas). O 22º Regimento de Serviços Aéreos Especiais, que faz parte do exército regular, ganhou fama e reconhecimento em todo o mundo após o resgate pela televisão de todos, exceto dois dos reféns mantidos durante o cerco à Embaixada do Irã em 1980.

2. Spetsnaz (Alpha Group) – Rússia 🇷🇺

Spetsnaz Russia
Spestnaz (Alpha Group) – Rússia 🇷🇺

Spetsnaz (Войска Cпециального Назначения – Cпецназ; translit. Voisca Spetsialnogo Naznatchênia – Spetsnaz, pron. /spʲɪtˈsnas/, literalmente “unidades para fins especiais”) é um termo russo que designa as forças especiais da antiga União Soviética e atual Federação Russa.

Spetsnaz pode significar as tropas de elite controladas pelo Serviço de Segurança Federal (FSB) em missões de antiterrorismo e anti-sabotagem, pelo Ministério do Interior (e polícia) MVD, e forças especiais do exército controladas pelo serviço de inteligência militar GRU.

Estritamente, todas as unidades Spetsnaz operadas pela KGB/FSB são chamadas de Osnaz, um acrônimo para (Voisca) Osobovo Naznachenya ou “Destacamentos Para Fins Especiais”. Estas unidades foram originalmente montadas para uso doméstico contra contra-revolucionários, dissidentes e outros elementos indesejáveis. Sempre houve uma certa quantidade de intercâmbio de pessoal e unidades tanto entre o GRU que controla as Spetsnaz e o MVD com as Osnaz MVD e as Oznaz KGB ou FSB, especialmente entre estes últimos.

As Spetsnaz executam missões de reconhecimento e conflito civil em épocas de paz, bem como de guerra. Por exemplo, sabe-se que o assassinato de Hafizullah Amin, então presidente do Afeganistão, em dezembro de 1979, foi executado pelo Spetsnaz sob as ordens da KGB.

1. Navy Seals – E.U.A 🇺🇸

Navy Seals Estados Unidos da América
Grupo de Elite da Marinha Americana (Navy Seals) 🇺🇸

As equipes Marítimo, Aéreo e Terrestre da Marinha dos EUA (SEAL), comumente conhecidas como SEALs da Marinha, são a principal força de operações especiais da Marinha dos EUA e um componente do Comando de Guerra Naval Especial.

Entre as principais funções dos SEALs, está a realização de missões de operação especial de pequenas unidades em ambientes marítimo, de selva, urbano, ártico, montanhoso e deserto.

Os SEALs são incumbidos principalmente de inspecionar, capturar ou matar alvos de alta prioridade e reunir informações por trás das linhas inimigas sobre forças, locais e atividades inimigas para futuras ações militares.

A partir de 2020, todos os SEALs ativos são homens e membros da Marinha dos EUA.

O Grupo de Operações Especiais (SOG) altamente secreto e de elite da CIA recruta operadores das equipes SEAL, com operações conjuntas voltando ao MACV-SOG durante a Guerra do Vietnã. Essa cooperação ainda existe hoje, como evidenciado pelas operações militares no Iraque e no Afeganistão.

Gostou deste artigo? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Desse jeito você vai receber as nossas novidades diretamente na caixa de entrada do seu email!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s